Compartilhar share
Santa Rosa do Sul

Santa Rosa respira cultura durante a Polvilhana

Publicado em 07/07/2008 às 00:00 - Atualizado em 08/09/2016 às 14:33

Durante os quatro dias de festa, o público lotou a praça de eventos organizada ao lado da Igreja Matriz. Evento atraiu visitantes de toda a região do estado.

A terceira edição da Polvilhana, Festa do Polvilho e da Banana, vai deixar saudades no público que compareceu aos quatro dias de evento, em Santa Rosa do Sul.

Sob uma estrutura de primeiro nível, detalhadamente preparada para acolher o número recorde de participantes, cada um dos eventos chamou  a atenção por estarem voltadas ao objetivo principal da festa, resgatar a cultura e integrar a população rural e urbana.

NO PALCO, A REALEZA

A festa iniciou na noite de quinta-feira, dia 3, quando o palco principal do evento recebeu as candidatas à rainha da Polvilhana.

Eleita como a realeza da 3ª edição da Festa, a jovem Natayane Mello, representando o centro, recebeu a coroa. A primeira princesa representa Vila Bitencourt, Cibele Soraia Silveira. Completando o trio real, Monise Izoppo, representante da comunidade de Lajeado, como segunda princesa.

SHOW NA ABERTURA

Depois dos pronunciamentos das autoridades convidadas para a festa, que começou na sexta-feira, dia 4, o céu foi iluminado por um grande show pirotécnico, declarando oficialmente aberta a 3ª Polvilhana. “Essa festa nasceu com o objetivo de resgatar a cultura dos agricultores, da colonização de Santa Rosa do Sul”, declarou o vice-prefeito do município, Nelson Cardoso de Oliveira.

Seguindo a programação, o público sulsantarosense foi presenteado com a apresentação da Orquestra Sinfônica de Santa Catarina (Ossca), tocando músicas clássicas de gosto popular, inspirando e sensibilizando com seu ritmo às pessoas presentes. O Grupo Candieiro fez o show de encerramento da noite.

FEPROARTE

O salão comunitário do município recebeu a Feira de Produtos e Artesanato (Feproarte), onde foram instalados vários estandes e cerca de 25 empresas expuseram seus produtos.

Artesanatos, produtos coloniais, manufaturados,, tecnológicos, frutas, flores, doces e até veículos estiveram à venda durante a Feira.

Os produtos em destaque foram os produzidos à base de banana e do polvilho, principais atividades de Santa Rosa do Sul.

RESGANTANDO A CULTURA DO COTIDIANO

Uma das grandes atrações do domingo, 6, foi o desfile de “giricos” (carros adaptados usados no trabalho do campo), tratores e caminhonetes, que ocorreu nas ruas do centro durante a manhã.
Jonas Mello Bottencourt desfilou com o trator mais caracterizado. A caminhonete mais caracterizada foi a de Antonio Vuolo Magenis. Jorão Coelho Pereira teve o girico mais caracterizado.

Na disputa de parelhas de boi, a mais sincronizada foi comandada por Romildo de Oliveira; a mais pesada foi de Ademir Coelho e a mais leve foi de Paulo César Ramos; e ainda a mais mansa foi a de Adilson Goulart. Também foi premiada a parelha de boi com o maior chifre, vencendo a de propriedade de José Matos Pinto.

A grande alegria durante a tarde foram as “corridas do cacho de banana” e do “balaio de mandioca”, brincadeiras típicas muito aguardadas pela multidão que cercou a área delimitada para a realização do esporte. Os mais rápidos da corrida do cacho de banana foram Vagner Marques Generoso em terceiro, Juliano Vargas Bez em segundo e Evandro Matos D’Avila em primeiro.Já, com o “balaio nas costas”, os mais velozes foram Nelzi Jorge Trajano em terceiro, Valdoir Fregulha em segundo e Ricardo da Silva em primeiro.

Depois da domingueira, que atraiu muitos para as danças de salão, a 3ª Polvilhana encerrou com sucesso de público e de atrações, conforme a expectativa da Comissão Central Organizadora (CCO). “A Polvilhana superou as previsões. O povo de Santa Rosa e região compareceu em peso e, por isso, a festa foi um sucesso”, concluiu a presidente da CCO, Alissandra Alves Paganini.

DIA DE SOLTAR A VOZ

Mini Maratona, Feira de Produtos da Terra, exposição de animais. No sábado, dia 5, eram variadas as atrações da Polvilhana. Mas o sucesso do dia, com grande participação do público, foi o quarto Festival Municipal Escolar da Canção (Femec) e oitavo Festival Municipal da Canção (Femec), onde os talentos revelados no próprio município soltaram à voz e proporcionaram um show nos palcos alternativo e principal.

O Femec, realizado durante a tarde no palco alternativo, apresentou como vencedores Hilary Vitória Biuchi, terceira colocada; Luiz Paulo dos Santos Gomes em segundo; e Dhjulia de Vargas Pereira, campeã. Os três são estudantes da turma de 8ª série da Escola João dos Santos Areão. O Festival contou com dez candidatos.

O Femec reuniu vinte e dois participantes e foi realizado durante a noite, com excelente público. Foram vencedores Diandra Bitencourt da Rosa e Luiz Henrique Bitencourt da Rosa, a dupla ficou em terceiro lugar; Alexandre Pereira Ferreira ficou em segundo; e Bruno L.B. Teixeira venceu o Festival.

Dados: Destaque Catarinense 

 


Galeria de Arquivos

publish